sábado, julho 04, 2009

Gozo aberto das almas irmãs


Meta-te em mim
Boca e escolha
Dê-me teus passos dados
Dê-me a veste nua de ser só a si,pessoa
Seja pessoa em mim
Boca que despe
Dá-me o som do bom sabor das coisas
Diga que ama,diga-me cama
Em sóis seja semana
Seja uma forma qualquer de amanhã
Dê-me o corpo,a prece, o sarro
O descalabro das manhãs
Joelhos feito prece em sanha
Saiba o gosto meu,me saiba em manha.

Quero-te do jeito negro dos negros
Quero-te inferno e céu de desejos
Risco o riso, a cor , a estrela da manhã
Quero me ter teu resplendor de ganas
De talvez morrer sendo-te o gozo aberto das almas irmãs.

Um comentário:

Flávia Muniz disse...

Gostei dos poemas.

bj